| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

períciadf
Desde: 07/05/2004      Publicadas: 20      Atualização: 16/07/2004

Capa |  jurisprudencia  |  legislação


 jurisprudencia

  07/05/2004
  0 comentário(s)


Médico é condenado por deixar cicatrizes em paciente

A cirurgia plástica não caracteriza obrigação de meio, mas sim de resultado. Com esse entendimento, o desembargador Luiz Ary Vessini de Lima, da 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, rejeitou apelação do médico Fernando Luderitz Tschoepke. Ele foi condenando a pagar 80 salários mínimos para uma paciente. O médico já interpôs recurso especial ao STJ.

Questão estética
Médico é condenado por deixar cicatrizes em paciente

A cirurgia plástica não caracteriza obrigação de meio, mas sim de resultado. Com esse entendimento, o desembargador Luiz Ary Vessini de Lima, da 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, rejeitou apelação do médico Fernando Luderitz Tschoepke. Ele foi condenando a pagar 80 salários mínimos para uma paciente. O médico já interpôs recurso especial ao STJ.

A paciente moveu ação reparatória contra o médico alegando que "a pretensão era a de levantar os seios". O cirurgião contestou que "a cura jamais poderá ser exigida, uma vez que a ciência da medicina é incompleta". E que "a obrigação assumida na cirurgia é de meio, e não de resultado".

De acordo com o desembargador, tanto a paciente como o profissional tentaram fraudar o SUS. A paciente conseguiu fazer com o que o médico fizesse constar que a cirurgia era de plástica mamária não estética, pois o SUS não paga cirurgias plásticas estéticas.

O desembargador Luiz Ary Vessini de Lima afirmou que "o resultado deveria ser o de embelezamento" e "marcas como as constatadas nas fotos – decorrentes das cicatrizes – não consistem no resultado da cirurgia contratada".

Acórdão:

O acórdão trata, em tese, de uma tentativa de fraudar o SUS. Textualmente refere que "o requerido é cirurgião plástico e a autora o procurou com a finalidade de levantar seus seios, conforme depoimento pessoal, corroborado pelas testemunhas ouvidas. Como a autora pretendia obter um quarto pelo SUS, no Hospital Centenário, consentiu que o médico fizesse constar que a cirurgia era mastoplastia periareolar, conhecida como plástica mamária não estética, porque é sabido que o SUS não paga cirurgias plásticas estéticas. De qualquer forma, se houve tentativa de fraudar o SUS, dela também participou o médico requerido, não podendo aproveitar-se do ilícito".(Espaço Vital)

Processo nº 70.007.178.304

Revista Consultor Jurídico, 07 de maio de 2004
  Autor:   Revista Consultor Jurídico


  Mais notícias da seção justiça no caderno jurisprudencia
23/06/2004 - justiça - Bancário ganha direito a estabilidade durante aviso prévio
Um bancário vai receber indenização porque foi demitido apesar de ter sido constatado, durante o aviso prévio, que ele havia desenvolvido Lesão por Esforço Repetitivo (LER). ...
23/06/2004 - justiça - Paciente que sofreu queimadura consegue indenização
O Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná LTDA foi condenado a indenizar Ester Georgina Rodrigues em R$ 23.400 por causa de uma queimadura sofrida durante uma cirurgia....
23/06/2004 - justiça - Justiça rejeita argumentos de Companhia Paulista de Seguros
A Companhia Paulista de Seguros foi condenada a pagar o seguro de vida a cliente portadora de câncer de mama. A decisão, por unanimidade de votos, é da 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. ...
18/06/2004 - justiça - =CNTS defende direito a aborto em caso de feto anencefálico
Gestantes devem ter o direito de interromper gravidez de feto anencefálico. A opinião é da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde, que entrou com pedido no Supremo Tribunal Federal. A Confederação quer que a Corte entenda que a antecipação terapêutica nesses casos não seja considerada aborto....
11/05/2004 - justiça - Justiça manda estado fornecer medicamento para adolescente
Um adolescente que sofre de artrite reumatóide juvenil deverá ter seu tratamento financiado pelo estado de Minas Gerais. A decisão é do juiz Saulo Versiani Penna, da 4ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias, que concedeu a antecipação de tutela ao adolescente. ...
09/05/2004 - justiça - UTI em casa-Paciente deve receber aparelhos e visita médica periódica
A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) deverá fornecer a uma paciente em coma vegetativo os aparelhos de respiração bipap, desumidificador e balas de oxigênio, quantas forem necessárias, para que ela seja atendida em sua residência...
08/05/2004 - justiça - Obrigação de comunicação de maus-tratos contra idoso
A suspeita ou confirmação de maus-tratos contra idoso serão obrigatoriamente comunicados pelos profissionais de saúde ...
07/05/2004 - justiça - Justiça mineira manda seguradora indenizar viúva em MG
Empresa de seguros de Minas Gerais foi condenada a indenizar uma viúva pela morte de seu marido. O juiz da 2ª Vara Cível de Belo Horizonte, Gutemberg da Mota e Silva, mandou a empresa pagar R$ 10.700 corrigidos monetariamente. ...
07/05/2004 - justiça - Direito a adicional de insalubridade depende de perícia
O direito de o trabalhador receber adicional de insalubridade depende, conforme a previsão da CLT, de perícia que permita a apuração das reais condições de trabalho enfrentadas por ele. Mesmo a declaração do empregador, reconhecendo o ambiente insalubre, não afasta a obrigatoriedade do estudo técnico para que o adicional possa ser pago....



Capa |  jurisprudencia  |  legislação
Busca em

  
20 Notícias